Siga-nos

Tecnologia

120

Tempo estimado para a leitura: 2minuto(s) e 1segundo(s).

Sistemas de GPS podem parar de funcionar no dia 6 de abril

Erro na contagem do tempo está sendo comparado ao ‘bug do milênio’

ubiie Redação

Publicado

em

Um erro na forma como satélites e sensores GPS calculam o tempo poderá causar falhas em sistemas de localização no dia 6 de abril. O problema, que está sendo comparado ao “bug do milênio”, que assustou a indústria da tecnologia na virada para o ano 2000, não afetará os smartphones, pois esses equipamentos são recentes. Sistemas mais antigos de navegação de navios, carros e aviões podem estar suscetíveis a erros, além de redes de computadores, servidores, instalações elétricas, sites e outros equipamentos que dependam de satélites GPS para ajustarem seus relógios.

Como explica “O Globo”, o erro ocorre porque os dispositivos mais antigos começaram a contar o tempo em 6 de janeiro de 1980 e realizam esta tarefa verificando as semanas. Nos equipamentos mais antigos, o software destinava 10 bits para essa função. Dois elevado à décima potência é 1024, ou seja, esses equipamentos eram capazes de contar 1024 semanas, ou 19,7 anos.

Isso que dizer que o mesmo problema já aconteceu no dia 21 de agosto de 1999. Contudo, naquela época, dependíamos menos do GPS. Agora, 1024 dias depois, o bug volta a ocorrer.

A FalTech GPS, fabricante britânica de repetidores GPS, alertou em um blog que “mercados financeiros, companhias geradoras de energia, serviços de emergência e sistemas de controle industrial podem ser afetados”. No entanto, como trata-se da segunda ocorrência do erro, muitos fornecedores já devem ter resolvido esse problema.

Segundo o vice-presidente da Trend, Bill Malik, em entrevista ao site Tom’s Guide, “os efeitos devem ser mais difundidos hoje, porque muito mais sistemas integraram o GPS em suas operações”. “Portos carregam e descarregam contêineres automaticamente, usando GPS para guiar as gruas. Sistemas de segurança pública incorporaram o GPS, assim como sistemas de monitoramento do tráfego. Há 20 anos essas conexões eram primitivas, agora elas estão incorporadas. Então, qualquer impacto agora será substancialmente maior”, explicou.

Em abril do ano passado, o Departamento de Segurança Nacional dos EUA orientou “organizações federais, estaduais, locais e do setor privado” a verificarem a necessidade de atualização do firmware com fabricantes dos seus equipamentos GPS. A Agência Europeia para a Segurança da Aviação emitiu um alerta semelhante.

O erro pode indicar que os aviões estão a quilômetros de distância da posição verdadeira, alguns equipamentos também podem ter ausência do horário, perda frequente do sinal de GPS ou impossibilidade da navegação.

“Eu não vou voar no dia 6 de abril”, afirmou Malik.

1
0
Clique para comentar
Publicidade

Espaço

Adeus a tudo que sabemos sobre Lua? Nova descoberta chinesa pode mudar hipótese existente

Mais cedo, a revista Nature comunicou que o rover chinês Yutu 2 descobriu no lado oculto da Lua dois novos tipos de rochas do manto. Destaca-se que é a primeira vez que estas rochas são obtidas e que foram tiradas do fundo da cratera Aitken, na Bacia do Polo Sul-Aitken.

ubiie Redação

Publicado

em

Até agora, nem as sondas soviéticas nem as espaçonaves da missão norte-americana Apollo tinham recolhido amostras do manto lunar. Os cientistas dizem que seu estudo ajudará a lançar luz sobre os enigmas da origem da Terra e da Lua.

Nessa conexão, o pesquisador do Instituto de Pesquisas Espaciais da Academia de Ciências da Rússia, Nathan Eismont, indicou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que a descoberta recém-feita pode mudar completamente a hipótese aceita sobre a formação da Lua.
“Na verdade, essa descoberta poderia mudar visivelmente nossa compreensão de como a Lua foi formada”, declarou.

“Agora, a hipótese mais aceita sugere que a Lua foi formada em resultado da colisão da Terra antiga com algum corpo celeste, que arrancou um pedaço da Terra e o que saiu desse pedaço é a Lua”, lembrou.

“Hoje, essa hipótese é a mais aceita entre os pesquisadores, embora existam inconsistências, contradições. E é possível que a descoberta do rover lunar chinês dê alguma explicação, ajude a encontrar uma solução para essas contradições que existem na teoria da evolução do Sistema Solar em geral e na teoria que explica a origem da Terra e da Lua. Para fazer isso, é preciso realizar uma investigação profunda do que foi obtido pelo rover lunar chinês”, indicou Eismont.

A sonda Chang’e-4 foi lançada por meio do foguete Longa Marcha 3B no dia 8 de dezembro e pousou com sucesso no dia 3 de janeiro na face oculta da Lua.

Tanto a sonda como o rover estão realizando medições e coletando rochas que podem vir a revelar novos detalhes sobre esta área inexplorada do satélite natural da Terra.

0
0
Continuar lendo

Espaço

Missão espacial chinesa desvenda segredos do lado oculto da Lua

Especula-se que a origem da Lua esteja relacionada com a colisão da Terra com um corpo celeste

ubiie Redação

Publicado

em

A missão chinesa Chang’e-4 foi a primeira a chegar ao lado mais afastado da Lua, assim como a primeira a descobrir a presença de olivina. A sonda tem investigado a composição do manto lunar, de forma a explicar a evolução e formação da Lua. Com as recentes descobertas, especula-se que a origem da Lua esteja relacionada com a colisão da Terra com um corpo celeste.

A sonda Chang’e-4 pousou na cratera lunar Vón Kármán no dia 3 de janeiro, e instalou o rover Yutu-2 para explorar a Bacia do Polo-Sul-Aitken, a maior e mais velha cratera do lado oculto da Lua. O rover colecionou algumas amostras e as suas descobertas foram divulgadas no Jornal Nature, nessa quarta-feira (16).As amostras revelaram vestígios de olivina, o que levou os investigadores a especular que o manto poderá conter olivina e piroxena em iguais quantidades, ao invés do domínio de um desses minerais. A olivina é um dos principais componentes do manto terrestre, o que poderá confirmar a teoria de que a Lua se formou com algum material que a Terra perdeu apos o choque com um corpo celeste. Os minerais encontrados são, por sua vez, distintos das amostras da superfície lunar.Uma vez que as caraterísticas e composição do subsolo permanecem desconhecidas, esta descoberta é considerada importante.

De acordo com a hipótese mais aceite, quando a Terra sofreu o impacto da colisão com um corpo celeste, Theia, algum material terá se desprendido, aglomerando-se e formando a Lua. Os elementos mais leves ficaram na superfície, mas os minerais mais densos, como é o caso da olivina, caíram no manto lunar.Desde então, a origem e estrutura da Lua têm sido temas de debate entre a comunidade científica. Dessa forma, a investigação chinesa poderá conduzir a um maior conhecimento acerca da evolução lunar e à confirmação da existência de um oceano de magma, teoria que ainda não foi confirmada.A missão espacial faz ainda parte da ambição da China no espaço, iniciada nos anos 70.O rover continuará a explorar o local e retirará mais material do solo, e, em 2020, a China planeia enviar a sonda Chang’e 5, com o objetivo de regressar à Terra com as amostras recolhidas na Lua.

0
0
Continuar lendo

Tecnologia

Trump poderá banir a Huawei dos Estados Unidos

A empresa chinesa continua sendo alvo de suspeitas de espionagem

ubiie Redação

Publicado

em

Nesta terça-feira (14), repercutiu na imprensa de todo mundo, um artigo da Agência Reuters que revelou que o Presidente dos EUA, Donald Trump, assinará uma ordem executiva que proibirá as empresas do país de usarem equipamento da Huawei.

A ordem será assinada baseada em uma lei federal que autoriza o presidente a regular o mercado, isto face a uma ameaça extraordinária aos EUA que o obriga a declarar o estado de emergência nacional.

A proximidade da Huawei ao governo chinês tem sido motivo de desconfiança das autoridades federais dos EUA, onde se incluem o FBI, a CIA e a NSA. Os EUA alega que o governo chinês recorre à Huawei para, através dos seus smartphones, equipamentos e software, espiar outros países.

No entanto, a Huawei já se posicionou sobre o assunto e criticou a medida que possa vir a ser tomada pelos EUA.

0
0
Continuar lendo
Publicidade
1USD
United States Dollar. USA
=
110,11
JPY –0,05%
4,10
BRL +0,07%
1EUR
Euro. European Union
=
122,92
JPY –0,07%
4,58
BRL +0,05%
1BTC
Bitcoin. Crypto-currency
=
868.267,87
JPY –3,97%
32.342,53
BRL –3,85%

Tokyo
21°
Cloudy
MonTueWed
min 19°C
22/16°C
24/16°C

São Paulo
16°
Fog
MonTueWed
24/16°C
26/14°C
27/15°C

Arquivos

Facebook

Publicidade

Mais vistas da semana