Siga-nos

Rede social

237

Tempo estimado para a leitura: 3minuto(s) e 41segundo(s).

Perguntas e respostas sobre o problema de segurança do Facebook

Empresa deslogou a conta de 90 milhões de usuários recentemente
.

ubiie Redação

Publicado

em

O Facebook anunciou nesta sexta-feira (28) que invasores roubaram tokens de acesso na rede social e que a vulnerabilidade afetou 50 milhões de contas, que tem 2 bilhões de usuários no mundo.

Como medida de segurança, a empresa deslogou a conta de 90 milhões de usuários, o que significa que quem entrava na rede social de modo automático, sem incluir a senha, foi desconectado e precisou incluir a senha novamente.

Até agora, a empresa não registrou o vazamento de informações pessoais na internet, mas especialistas em segurança da informação alertam que o roubo de tokens é perigoso, pois dá acesso à conta dos usuários e todo o seu controle, de mensagens privadas a fotos que estão públicas ou em álbuns fechados.

“Hoje você faz o login e não coloca mais a senha durante um mês, por exemplo. É assim no Google, no Facebook. No momento que você acessa, eles usam um algoritmo criptográfico que te reconhece. A pessoa fica ligada a um código, uma sequência de caracteres conhecida como token, que a autoriza”, explica Igor Rincon, especialista em segurança de informação.

Com o token, o Facebook entende que o acesso à rede social por determinado celular ou máquina é autenticado e permite o acesso da pessoa sem que ela precise digitar a senha.

Como saber se tive a conta invadida?

A empresa não anunciou quais países foram afetados, apenas que deslogou a conta de 90 milhões de pessoas. Se você não costumava colocar a senha e precisou fazer isso, há duas possibilidades: ou sua conta está entre as vulneráveis ou, no último ano, você acessou a função “ver como”, no qual usuários conseguem ver como outras pessoas enxergam seu perfil na rede social.

Verifique nas configurações de sua conta os dispositivos que estão conectados a ela e os respectivos locais de origem. Se aparecer alguma cidade que você não esteve, é provável que seu perfil tenha sido invadido.

Qual a consequência de uma invasão ao meu perfil?

Invasores podem ler mensagens privadas, olhar fotos privadas, fazer o download delas, bem como alterar informações pessoais e se fazer passar por você. Isso pode ter inúmeras implicações relacionadas à falsidade ideológica.

Como me proteger nas redes sociais?

Altere sua senha e não use a mesma em diferentes redes sociais, como LinkedIn e Twitter. Evite sequências numéricas, como número de telefone, data de nascimento e placa do carro, e palavras conhecidas de qualquer idioma.”Uma dica que costumo dar é: selecione a primeira letra de cada palavra da sua música preferida, para você ter uma referência, e inclua números e caracteres especiais no meio”, diz Fernando Amatte, diretor de ciberinteligência da Cipher.2. Habilite a verificação em dois fatores. Vá até as configurações de segurança e ative o duplo fator de autenticação. Faça isso em todas as redes sociais. Dessa forma, você só entra na rede por um dispositivo se confirmar sua identidade em outro meio, seja com QR Code ou por SMS no celular.3. Seja um usuário vigilante. Ative notificações de redes sociais no seu email para saber quando algo acontece na sua conta. Fique atento a qualquer mensagem ou notificação estranha. 4. A dica é antiga, mas tenha antivírus atualizado no computador e, se possível, obtenha um para dispositivos móveis. Se, porventura, a partir das informações acessadas no Facebook, o invasor tentar instalar algum programa na sua máquina, o antivírus detecta a movimentação.O que diz o Facebook?A empresa afirma que as investigações estão em estágio inicial. Informa que o ataque explorou uma “interação complexa envolvendo uma série de ocorrências em nossos códigos” e que nasceu de uma mudança de código feita na ferramenta de upload de vídeo em julho de 2017, que impactou a funcionalidade “Ver Como”.”Os invasores não precisaram apenas encontrar essa vulnerabilidade e usá-la para ganhar acesso a um token, mas também tiveram que ir desta conta a outras para roubar mais tokens.”Segundo o Facebook, ainda é preciso confirmar se as contas foram mal utilizadas ou se alguma informação foi acessada. É preciso ressaltar que essa vulnerabilidade de segurança não tem relação com o caso da Cambridge Analytica, que colocou a empresa em uma de suas piores crises de imagem este ano.

0
0
Clique para comentar
Publicidade

Rede social

Fake news geram mais engajamento no Facebook que mídia tradicional

O estudo faz parte de um relatório do Instituto de Internet da Universidade de Oxford

ubiie Redação

Publicado

em

Informações falsas e com conteúdo extremo geram maior engajamento no Facebook do que notícias da mídia tradicional. A conclusão foi de um estudo do Instituto de Internet da Universidade de Oxford, um dos mais renomados do mundo. A investigação analisou a circulação de conteúdos em redes sociais relacionados às eleições do Parlamento Europeu, que tiveram início na quinta-feira (23) e ocorrem até este domingo (26).

A pesquisa avalia o que chama de junk news, que classifica como conteúdos “ideologicamente extremos, enganosas e informações com fatos incorretos”. A disseminação desse tipo de mensagem vem ocorrendo em larga escala em processos políticos na região e preocupado autoridades dentro da União Europeia.

“As junk news em nossa base tenderam a envolver temas populistas como anti-imigração, fobia contra grupos islâmicos, com poucos mencionando líderes ou partidos europeus”, afirmaram os autores. Os pesquisadores também verificaram o compartilhamento de mensagens de fontes russas, dialogando com a preocupação de interferência externa no pleito.

Sites populares de junk news na maioria dos idiomas obtiveram um engajamento de 1,2 a 4 vezes maior do que as notícias de meios jornalísticos tradicionais. Engajamento é o termo usado para interações com as publicações, como curtidas, compartilhamentos e comentários realizados.

Os idiomas com maior índice de engajamento envolvendo as junk news foram inglês (3,2 mil por publicação), alemão (1,9 mil), sueco (1,76 mil) e francês (1,7 mil). Nas páginas de Facebook de sites em italiano e polonês a situação se inverte, com os veículos jornalísticos obtendo maior engajamento do que as fontes de junk news.

Já no Twitter, a presença de conteúdos enganosos foi menor. Menos de 4% das fontes, entre as mensagens analisadas, tinham como foco a difusão de junk news ou de sites russos. A exceção foi a Polônia, onde esse tipo de publicação representou 21% dos conteúdos analisados. Os veículos tradicionais de mídia tiveram desempenho melhor, com 34% das informações compartilhadas.

Os autores analisaram publicações em sete idiomas que circularam em redes sociais em países da região. Foram analisados mais de 580 mil mensagens no caso do Twitter e as principais fontes de junk news e de notícias de veículos profissionais no Facebook.

0
0
Continuar lendo

Rede social

Rede social Pinterest estreia na bolsa com alta de 28%

Cotados no começo do dia a US$ 19, os papeis da startup encerraram o pregão vendidos a US$ 24,40

ubiie Redação

Publicado

em

As ações da rede social de compartilhamento de fotos Pinterest subiram 28,5% ontem, na estreia da empresa na bolsa de valores de Nova York. Cotados no começo do dia a US$ 19, os papeis da startup encerraram o pregão vendidos a US$ 24,40 – a valorização fez a empresa ser avaliada em US$ 16 bilhões. Além disso, o serviço de chamadas de vídeo Zoom também abriu seu capital, em valorização de 72%.

Os bons números das duas ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) mostram o apetite de Wall Street por aberturas de capital de tecnologia em 2019. “Quando se vê uma alta expressiva assim, há um indicador claro que a empresa gera interesse no mercado logo no início”, disse Chris Larkin, vice-presidente da consultoria E*Trade Financial Corp, à agência de notícias Reuters.

No caso do Pinterest, a expectativa é de que a empresa – a primeira rede social a abrir capital desde o Snapchat, em 2017 – seja capaz de ter uma investida a longo prazo no mercado, dada sua capacidade de crescer em receita e em número de usuários. “Há muitas empresas que se atrapalham ao focar no curto prazo e nas notícias que saem na imprensa, mas estamos focados em construir a melhor versão possível do Pinterest nos próximos anos”, disse Todd Morgenfield, diretor financeiro da empresa, em nota.

No final de março, o Pinterest tinha 291 milhões de contas ativas – alta de 22% contra o mesmo período do ano anterior. Fundada em 2010 por Ben Sillberman, Evan Sharp e Paul Sciarra, a empresa permite que usuários procurem por imagens de tópicos como decoração, moda ou viagens – com os resultados, chamados de pins (alfinetes) é possível criar “paineis de inspiração”. Para faturar, o Pinterest permite que anunciantes sugiram “alfinetes” para os usuários com seus produtos.

Além de Pinterest e Zoom, o maior rival do Uber nos EUA, o Lyft, também entrou na bolsa em 2019, embora tenha apresentado resultados decepcionantes até aqui, com as ações operando 20% abaixo do preço do IPO. Até o final do ano, ainda há a expectativa da chegada do Uber, do aplicativo de comunicação corporativa Slack e também do Airbnb, outro representante da economia compartilhada.

0
0
Continuar lendo

Rede social

Instagram, Facebook, WhatsApp teriam parado de funcionar na Europa

Segundo dados do serviço de monitoramento Downdetector, as plataformas de mídias sociais estariam fora do ar em vários países europeus, nomeadamente no Reino Unido e na Itália.

ubiie Redação

Publicado

em

O Downdetector, um serviço que monitora o funcionamento de sites populares, relatou interrupções no Instagram, Facebook e WhatsApp na Europa.

Além disso, o site também comunicou problemas de funcionamento no Messenger do Facebook que, de acordo com a fonte, afetaram principalmente os países europeus.
Até o momento as razões de falhas não foram esclarecidas.

WhatsApp e Instagram fazem parte do Facebook INC.

Não tendo acesso normal a nenhuma das três plataformas, os internautas se dirigiram para o Twitter onde compartilharam sua indignação pelo mau funcionamento.

Como se não bastasse receber publicidade no Facebook, agora nem posso falar com meus amigos!

O Instagram falhou, foram para o Twiter, o Facebook falhou, foram para o Twitter. O que acontecerá se o Twitter também falhar?

Facebook e Instagram estão fora do ar de novo….

0
0
Continuar lendo
Publicidade
1USD
United States Dollar. USA
=
107,69
JPY –0,39%
3,84
BRL 0,00%
1EUR
Euro. European Union
=
121,81
JPY +0,27%
4,34
BRL +0,66%
1BTC
Bitcoin. Crypto-currency
=
999.180,03
JPY –0,53%
35.618,87
BRL –0,13%

Tokyo
23°
Partly Cloudy
ThuFriSat
min 20°C
27/21°C
27/19°C

São Paulo
19°
Fair
ThuFriSat
23/16°C
22/15°C
24/14°C

Arquivos

Facebook

Publicidade

Mais vistas da semana