Siga-nos

Mundo

277

Tempo estimado para a leitura: 1minuto(s) e 33segundo(s).

Mais um terremoto abala Lombok, na Indonésia; mortos já são 319

O sismo desta quinta-feira foi de magnitude 5,9; o número de mortos no tremor de domingo chegou a 227

ubiie Redação

Publicado

em

A Ilha turística de Lombok, na Indonésia, foi atingida por mais um terremoto, nesta quinta-feira (9). De acordo com o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS), o tremor registrado foi de magnitude 5,9.

O epicentro do terremoto foi a 10 km de profundidade e a 23 km de Mataram, capital a província, ainda segundo o USGS. No entanto, os serviços indonésios afirmam que o novo tremor teve magnitude 6,2, ocorrido numa profundidade de 12 km.

Sutopo Purwo Nugroho, porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres da Indonésia, disse no Twitter que o tremor desta quinta abalou os edifícios que já estavam quebrados e apavorou as pessoas pelas ruas.

Esse foi terceiro terremoto que acontece no mesmo local em 13 dias. O primeiro foi no dia 28 de julho e o segundo ocorreu em 5 de agosto.

A agência France-Presse afirmou também nesta quinta que o número de mortos do terremoto de domingo (5) chegou a 319.

O número de pessoas hospitalizadas saltou para 1.467 as pessoas, enquanto os desabrigados são 156 mil.

Por conta de sua localização, no “Anel de Fogo do Oceano Pacífico, a Indonésia é propensa a terremotos. Em dezembro de 2004, um terremoto de magnitude 9,1 na costa de Sumatra provocou um tsunami que matou 230 mil pessoas em vários países.

0
0
Clique para comentar
Publicidade

Mundo

Secretário do governo diz que Hezbollah atua na América do Sul

Brasil, Argentina e Paraguai e Estados Unidos vão se reunir para discutir ações contra o grupo

ubiie Redação

Publicado

em

O secretário-geral dos Negócios Estrangeiros do Brasil disse esta sexta-feira (19) que o Hezbollah tem atividade terrorista na América do Sul e destacou que Brasil, Argentina e Paraguai vão atuar com os EUA para combaterem financiamento ao terrorismo. “Há atividade do Hezbollah na região. Isso é um dado da realidade”, afirmou à Lusa Otávio Brandelli, referindo-se ao movimento xiita sediado no Líbano.

Brandelli participou em Buenos Aires da Segunda Conferência Ministerial Hemisférica de Luta contra o Terrorismo em substituição do ministro dos Negócios Estrangeiros, Ernesto Araújo, que se deslocou a Cabo Verde para a reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

“O Brasil juntou-se à declaração da Conferência na qual se reconhece que há atividades do Hezbollah na América do Sul. Não queremos que o hemisfério seja um espaço para ação de logística, de financiamento ou de atividades operacionais de qualquer grupo terrorista”, explicou.

Durante o encontro, Brasil, Argentina e Paraguai por um lado, associados aos Estados Unidos por outro, estabeleceram um mecanismo de segurança regional para a coordenação dos esforços na luta contra as atividades ilícitas na região e contra as suas vinculações com o crime transnacional e com o financiamento do terrorismo. O mecanismo prevê reuniões semestrais, estando a primeira agendada até ao final deste ano, em Assunção, no Paraguai.

“É um mecanismo de cooperação no modelo ‘3+1’. Ou seja: Brasil, Argentina e Paraguai + Estados Unidos. O mecanismo já existia, mas não se reunia. Agora foi relançado”, anunciou Brandelli.

As autoridades dos Estados Unidos afirmaram que o Hezbollah opera na fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai, onde uma economia ilícita em torno do contrabando e do tráfico de drogas e de armas financiaria operações do movimento xiita noutras partes do mundo.

A reunião em Buenos Aires aconteceu em sintonia com a decisão argentina de declarar a organização xiita pró-iraniana Hezbollah como grupo terrorista, um pedido dos Estados Unidos e de Israel, países com os quais a Argentina tem interesses estratégicos, assim como o Brasil.

O Governo argentino ordenou o congelamento de ativos do Hezbollah. A estratégia de asfixiar o grupo pelo lado do financiamento é consequência da criação, um dia antes, de um registro público de pessoas e de entidades vinculadas com o terrorismo.

Até então, a Argentina, assim como os demais países do Mercosul (Brasil, Uruguai e Paraguai), regia-se pela listagem da ONU na qual o Hezbollah não aparece como terrorista.

“Formalmente, o Brasil segue a lista de organizações terroristas das Nações Unidas, mas essa lista é dinâmica. Pode-se trabalhar pela inclusão de outros grupos. Nós não temos uma lista separada da lista da ONU”, sublinhou Brandelli.

O mesmo responsável também negou que o Brasil esteja a estudar a hipótese de declarar o Hezbollah como grupo terrorista. “O Brasil tem o seu serviço de inteligência e, no momento oportuno, no foro apropriado, o Brasil pronunciar-se-á”, declarou.

No entanto, o MNE brasileiro, Ernesto Araújo, disse esta semana durante a Cimeira do Mercosul que o Governo brasileiro “está considerando” a possibilidade de declarar o Hezbollah como grupo terrorista.

“O pedido não nos foi feito diretamente. É uma proposta que estamos examinando. Depende de várias áreas do Governo”, disse em resposta a uma pergunta da Lusa.

Nesta Segunda Conferência Ministerial Hemisférica de Luta contra o Terrorismo em Buenos Aires, o Brasil participou como delegado junto a outros 16 países das Américas.

Na primeira edição da Conferência em dezembro passado, em Washington, o Brasil tinha participado apenas como observador. A próxima reunião será em 17 de janeiro em Bogotá, na Colômbia.

Nos próximos 1 e 2 de agosto, o Brasil organiza a reunião contra terrorismo dos BRICS, bloco que reúne também a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul.

Em Buenos Aires, além do foco sobre o Hezbollah, outros grupos apareceram na lista de riscos para a região: o Sendero Luminoso do Peru e o Exército de Libertação Nacional da Colômbia, que agora atua também na Venezuela.

Apesar de ter estado com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, Otávio Brandelli garantiu que não foi abordado o assunto da potencial indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador brasileiro em Washington.

0
0
Continuar lendo

Mundo

Um morto e 30 hospitalizados no segundo dia de Tomorrowland

O maior festival de música eletrônica do mundo começou esta sexta-feira

ubiie Redação

Publicado

em

Uma pessoa morreu e pelo menos 30 tiveram que receber assistência hospitalar desde a abertura de portas do festival Tomorrowland, que se realiza em Boom, na Bélgica. O festival de música eletrônica abriu começou na sexta-feira, dia 19, e vai realizar-se até domingo, repetindo nos próximos dias 26, 27 e 28.

De acordo com a imprensa local, um jovem de 27 anos de idade se sentiu mal perto do palco principal, na sexta-feira, tendo sido reanimado no local. O jovem acabou morrendo no hospital, não sendo conhecidas ainda as causas de morte.

As trinta pessoas que tiveram que receber assistência hospitalar tinham ferimentos leves. “Em 80% dos casos são pequenos traumatismos, como tornozelos torcidos”, explicaram os bombeiros locais.

O balanço feito pelo festival é de 1915 intervenções no local e na zona de acampamento, sendo que a maior parte das ocorrências serão pequenas lesões. “As pequenas lesões constituem 65% a 70% das ocorrências. Em menor proporção, atendemos a situações de náusea ou problemas estomacais relacionados com má nutrição e, em número menor, a intoxicações”, indicaram os bombeiros.

O Tomorrowland, realizado em Boom desde 2005, tornou-se num dos maiores e mais conhecidos festivais de música eletrônica do mundo, que acontece ao longo de dois fins de semana. Cerca de 400 mil festivaleiros marcaram presença na edição de 2018, sendo que os bilhetes costumam esgotar em minutos.

0
0
Continuar lendo

Mundo

Forte terremoto de magnitude 5.3 abala Atenas

O epicentro do sismo foi registrado a 22 quilómetros a Noroeste de Atenas

ubiie Redação

Publicado

em

Um terremoto de magnitude 5.3 a noroeste de Atenas foi sentido hoje (19) na capital da Grécia. Várias pessoas disseram que o abalo foi forte mas “felizmente não muito longo”.

O epicentro do sismo foi registrado pelo centro de monitorização europeu (European Earthquake Monitoring Centre), a 22 quilómetros a Noroeste de Atenas.

Houve ocorrências no sistema de comunicações: a eletricidade e as comunicações telefônicas estavam sem funcionar totalmente.

Um edifício também desabou, tendo atingido um carro estacionado à frente. Trata-se de um prédio desabitado, não tendo havido qualquer dano relativamente a pessoas.

Há, entretanto, relatos de pessoas que abandonaram os seus locais de trabalho indo para as ruas da capital. Muitas delas foram para a Praça Syntagma, temendo repetições de tremores, já confirmados por testemunhos e pelos centros de monitorização.

Uma das infraestruturas em que se sentiu particularmente o abalo foi o aeroporto internacional de Atenas, que nesta época do ano registra forte movimento de turistas.

Há vinte anos, em 1999, a área do epicentro deste sismo produziu um abalo de 5.9 que fez 143 mortos.

“O sismo ocorreu muito próximo da superfície, razão pela qual foi sentida com esta intensidade”, explicou na cadeia de televisão grega Star TV um sismologista.

A inexistência de vítimas foi, entretanto, confirmada pelos bombeiros. Várias pessoas ficaram presas em elevadores e pediram socorro.

0
0
Continuar lendo
Publicidade
1USD
United States Dollar. USA
=
108,06
JPY +0,14%
3,77
BRL +0,72%
1EUR
Euro. European Union
=
120,55
JPY –0,29%
4,20
BRL +0,29%
1BTC
Bitcoin. Crypto-currency
=
1.073.464,09
JPY –3,70%
37.434,75
BRL –3,11%

Tokyo
25°
Mostly Cloudy
TueWedThu
min 23°C
31/24°C
31/24°C

São Paulo
25°
Fair
TueWedThu
26/14°C
27/14°C
25/14°C

Arquivos

Facebook

Publicidade

Mais vistas da semana