Siga-nos

Você viu?

246

Tempo estimado para a leitura: 4minuto(s) e 6segundo(s).

Brasil tem mais de 7,2 milhões de sites desprotegidos

Levantamente detecta que mais de 40% dos sites brasileiros não contam com certificado de segurança, que criptografa as informações transacionadas e impede o roubo dos dados na internet

ubiie Redação

Publicado

em

Um mapeamento da internet brasileira feito pela BigData Corp a pedido da Serasa Experian em junho deste ano aponta que 40,10% dos sites do país não estão seguros, o que representa um total de 7,2 milhões de endereços. Estes sites não possuem o certificado de segurança (SSL – Secure Socket Layer), que promove uma conexão segura utilizando a criptografia entre o servidor e os dados trafegados, o que evita o roubo de dados durante a transação.

O estudo também mostra que no mesmo período de 2016 o percentual de sites sem a proteção era ainda maior: 62,42%. Ainda que o país tenha assistido um rápido avanço na adoção do SSL no período, o volume de sites sem os certificados de segurança ainda é considerado alto. Outro aspecto que chama a atenção no estudo é o fato de que, mesmo entre os que possuem os sites que possuem certificados de segurança, perto de um quarto (24.97% ou 2,73 milhões) estão expirados e precisam ser renovados. E outros 3,7 milhões, ou 34,07% dos que possuem o certificado, terão suas licenças expiradas em até três meses.

“É bom lembrarmos que no restante do mundo, no entanto, em média, apenas 8,57% dos sites não possuem essa proteção. E a questão ganha uma relevância ainda maior no momento em que sites sem certificados de SSL são expostos pelo Google com avisos de “não seguros” e deixam de aparecer nos primeiros lugares nas buscas feitas pelo Google”, comenta Thoran Rodrigues, CEO e fundador da BigData Corp. Ou seja, segundo Rodrigues, empresas que mantêm sites sem a camada de SSL poderão ser prejudicadas pois terão seus sites nas últimas páginas de resultados nos sites de busca.

Maurício Balassiano, diretor de certificação digital da Serasa Experian, alerta que os consumidores devem ficar atentos para que seus dados, sejam bancários ou pessoais, não fiquem à mercê de possíveis golpistas. “Para isso, basta verificar se há cadeado na barra de endereço, ou se há um “s” após o http (https), indicando segurança, além da identificação de “seguro” e “não seguro” dada por alguns navegadores”, ensina.

Os dois executivos apontam que o certificado expirado é algo ainda mais crítico para as empresas. Quando certificado está expirado e um usuário tenta acessar o site, seja por meio de uma busca ou quando o usuário digita direto o endereço, o navegador mostra uma página vermelha de erro, com um aviso informando que aquele endereço não é seguro, assustando o internauta. Dessa forma, ter o certificado expirado é, na verdade, pior do que não ter o certificado.

Um a cada cinco e-commerces não está seguro

Tendo em vista os vários tipos de sites, blogs são a categoria na qual os certificados SSL têm a maior penetração – 80,89% deles possuem essa proteção. “Isso se deve quase inteiramente ao fato de que boa parte deles está hospedada em grandes plataformas, que instalam o certificado automaticamente para eles”, explica o CEO da BigData Corp. Naturalmente, e-commerces (78,77%) e sites corporativos (73,47%) vêm em seguida.

Mesmo que os e-commerces tenham um alto percentual de proteção em relação aos demais tipos de site, é importante ter-se em conta que, por se tratarem de sites que transacionam dados bancários, o percentual de 21,23% de sites inseguros é alto. Isso significa que aproximadamente um em cada cinco sites de comércio eletrônico não possui o certificado de segurança que criptografa os dados transacionados.

Percentual de grandes sites descobertos surpreende

Um dado do estudo que surpreende é o fato de que mais de um terço (37,36%) dos grandes sites com mais de meio milhão de visitas mensais não possuam certificados SSL. O índice é semelhante (37,51%) entre os sites médios – com mais de 10 mil e meio milhão de visitas mensais. Entre os pequenos – que recebem menos de 10 mil visitas mensais, o SSL está presente apenas em 41,98% deles.

Do ponto de vista da idade das empresas que mantêm sites com SSL, as mais antigas, com 20 anos ou mais, são a maioria – respondendo por uma participação 36,75%. Em segundo lugar, com 20,42% estão os sites entre 5 e 10 anos, e os de 10 a 15 anos (18,37%).São Paulo lidera a participação dos sites que possuem SSL (33,77%), seguido por Minas Gerais (9%), Rio de Janeiro (8,8%) e Rio Grande do Sul (8,03%).

Ambientes inseguros

Uma prática muito utilizada pelos golpistas no ambiente online inseguro é a de phishing, na qual os criminosos copiam as informações trocadas durante uma transação. Dados pessoais roubados, como nome, endereço, CPF etc., podem ser coletados para fraude de identidade, que acontece quando dados pessoais de um consumidor são usados por terceiros para firmar negócios sob falsidade ideológica ou obter crédito sem a intenção de honrar os pagamentos.

Para verificar se o site possui o certificado SSL e, portanto, os dados trafegados estão sendo criptografados, sem risco de roubo, basta checar se há um cadeado na barra de status, ou se há um “s” após o http (https), indicando segurança. Em alguns casos, a barra de endereço do navegador fica verde. Atualmente alguns navegadores incluem para todos os sites a indicação de “Seguro” e “Não Seguro” também na barra de endereço. Normalmente também há um selo de segurança, atribuído pelo fornecedor do certificado, que pode ser encontrado no próprio site.

0
0
Clique para comentar
Publicidade

Você viu?

Maioria dos atiradores de crimes em escolas não é psicopata, diz estudo

Classificá-los sempre como psicopatas é simplista e incorreto, afirma professor

ubiie Redação

Publicado

em

Planejar por meses ou anos um ato cruel, ter o sangue frio de atirar contra crianças e adolescentes indefesos de forma aleatória, e terminar o crime com suicídio. Para a maioria das pessoas que assistem a um massacre em escolas ou ouvem relatos de casos do tipo, como o ocorrido em Suzano na semana passada, é difícil não associar o atirador a um psicopata, de perfil cruel, frio e sádico.

Estudos científicos internacionais feitos com base na análise do perfil de dezenas de atiradores no mundo, no entanto, trazem conclusões intrigantes: na maioria dos casos, não havia sinal de psicopatia nos atiradores, o que leva os pesquisadores a acreditarem que experiências de vida, como traumas, abusos ou outros fatores sociais, possam desenvolver um comportamento agressivo em uma pessoa sem sinais de doença mental.

“O que sabemos é que mesmo pessoas biologicamente saudáveis podem desenvolver problemas assim quando submetidas a condições adoecedoras, ou quando inseridas numa cultura doente, pelo fato de que nossas crenças, nosso modo de interpretar e compreender a realidade não é algo imutável, fixo, rígido”, explica o doutor em Psicologia e professor do Instituto Federal de Goiás Timoteo Madaleno Vieira, autor de um artigo em que revisou dezenas de estudos internacionais sobre o perfil dos atiradores e concluiu que classificá-los sempre como psicopatas é simplista e incorreto.

“No senso comum, a ideia de um monstro, um psicopata tresloucado, é muito usada para dar a resposta que procuramos (para esses atos). Isso simplifica as coisas. Explicações assim falsificam a realidade e nos ajudam a evitar a percepção de que podemos ter responsabilidade na expansão desse fenômeno”, diz.

Características comuns

Se os atiradores têm perfis psicológicos diferentes entre si e motivações diversas, eles reúnem, por outro lado, algumas características em comum: a grande maioria é homem, branca e obteve a arma usada no ataque em casa, utilizando armamento de posse dos próprios pais, segundo estudos do FBI e do psicólogo americano Peter Langman, um dos maiores estudiosos do assunto no mundo, que levantou dados sobre 150 ataques em escolas em dez países, incluindo o Brasil.

Análise feita pelo Estado na base de dados do pesquisador, disponível no site schoolshooters.info, mostra que, dos 150 atiradores analisados, 94% era do sexo masculino, 63%, branco, 42% não sobreviveram ao ataque – a maioria porque cometeu suicídio -, e 38% era menor de idade ao cometer o ataque homicida.

O psicólogo criou ainda uma tipologia para o perfil psicológico dos atiradores, os dividindo em três grupos: traumatizados, psicóticos e psicopatas (em tradução livre).

Os traumatizados tinham histórico de abuso por parentes ou famílias desestruturadas, com casos de violência ou dependência química. Os psicóticos apresentavam sinais de esquizofrenia ou algum transtorno de personalidade. Entre os sinais estavam alucinações, delírios ou paranoias. Por fim, os psicopatas tinham os sintomas clássicos do quadro, como narcisismo, ausência de empatia e sadismo.

Na análise dos 150 atiradores, o pesquisador conseguiu informação suficiente de 81 deles para traçar o perfil e chegou a conclusão de que 49% eram psicóticos, 32% eram psicopatas e 19% eram traumatizados.

Dificuldade

Segundo o estudioso, nem sempre é fácil para as famílias identificar esses perfis previamente. “Entre os atiradores traumatizados, os pais são os principais problemas na vida dos filhos. Para os outros perfis, não é que os pais estejam falhando. Muitas vezes eles escondem deliberadamente os seus pensamentos e sentimentos dos pais. Mesmo quando os atiradores estiveram em psicoterapia, ocultaram suas intenções violentas”, disse ao Estado.

Há sinais, no entanto, demonstrados previamente pelos atiradores que podem servir de alerta para pais e docentes, como obsessão por armas ou mídias violentas, postagens sobre ataques, comportamento agressivo ou depressivo, entre outros.

0
0
Continuar lendo

Você viu?

Aurora ‘de outro mundo’ é registrada no céu noturno (FOTO, VÍDEO)

O fotógrafo Valentin Zhiganov se tornou testemunha de pilares de luz, fenômeno ótico formado pelo reflexo da luz do Sol ou da Lua pelos cristais de gelo, gravando imagens espetaculares.

ubiie Redação

Publicado

em

O fenômeno extraordinário foi avistado na região russa de Murmansk a —30°C. O homem fotografou duas mulheres em uma banheira de água quente com aurora ao fundo, enquanto reparavam os raríssimos pilares de luz, declarou ele à edição Daily Mail.

“Essa ilusão de ótica é conhecida como pilares de luz. É uma espécie de aurora e é bem rara, especialmente quando os pilares são muito altos”, ressaltou o fotógrafo, acrescentando que foi a primeira vez ele viu o fenômeno e que ficou feliz de vê-lo e tirar fotos.

Valentin Zhiganov capturou pilares de luz com uma galera superfeliz, casas tradicionais do norte russo, floresta e ferrovia perto de casa na cidade de Apatity.

0
0
Continuar lendo

Você viu?

Mensagem de Deus? Mexicanos estão preocupados por Menino Jesus ‘chorar sangue’ (VÍDEO)

Habitantes de uma zona rural do México, localizada a 42 quilômetros de Acapulco, dizem que a figura de cerâmica do Menino Jesus chora sangue pela situação da localidade, uma das mais perigosas do mundo, indica a mídia mexicana.

ubiie Redação

Publicado

em

De acordo com uma habitante local, Soledad Natividad Flores, primeiramente o fenômeno ocorreu em 1º de janeiro de 2019. Muitos espectadores deste acontecimento inusitado atribuem-lhe um mau presságio, caracterizando isso como uma manifestação “do diabo”.

Mensagem divina? Asseguram que este Menino Deus chora sangue

​”Muitos dizem que é uma coisa má, outros dizem que é uma mensagem de Deus, cada um com sua própria fé, mas a verdade é que muitos de nós estamos convencidos de que ele chorou sangue inclusive nos braços das pessoas quando o carregam”, disse a mulher.

Vários moradores da área disseram que testemunharam da vez mais recente. De acordo com os seus testemunhos, no dia 4 de março um líquido marrom saiu dos olhos da figura pelo menos cinco vezes.

No entanto, Juan Carlos Flores Rivas, pároco da Igreja de São Judas Tadeu, disse ao jornal El Sol de Acapulco que representantes da Igreja Católica no município estão investigando o caso para proteger os paroquianos de serem enganados por sua fé.

O padre assegurou que este evento poderia “ter uma explicação racional, porque nem tudo corresponde a um fenômeno do tipo espiritual, às vezes há coisas que são meramente naturais e que as pessoas comuns não têm visto”.

Quem sabe se estamos diante da presença de um verdadeiro milagre ou de mais um esquema para enganar os moradores desavisados de uma das povoações mais perigosas do mundo, com uma média de 110,5 assassinatos por 100 mil habitantes, segundo o Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Criminal do México.

0
0
Continuar lendo
Publicidade
1USD
United States Dollar. USA
=
111,40
JPY +0,01%
3,79
BRL –0,06%
1EUR
Euro. European Union
=
126,44
JPY +0,14%
4,30
BRL +0,07%
1BTC
Bitcoin. Crypto-currency
=
446.262,11
JPY +0,47%
15.179,87
BRL +0,40%

Tokyo
11°
Sunny
WedThuFri
20/12°C
19/13°C
21/7°C

São Paulo
22°
Cloudy
TueWedThu
min 20°C
26/19°C
21/17°C

Arquivos

Facebook

Publicidade

Mais vistas da semana