Siga-nos

Política

141

Tempo estimado para a leitura: 1minuto(s) e 26segundo(s).

Testemunhas reforçam suspeita contra Temer e amigo

A Polícia Federal investiga se empresas do setor portuário pagaram propina em troca de um decreto presidencial

ubiie Redação

Publicado

em

Testemunhas ouvidas na quarta (18) e quinta-feira (19), na Superintendência da Polícia Federal e na PF do Aeroporto de Congonhas, reforçam as suspeitas de que a empresa do coronel João Batista Lima, amigo do presidente Michel Temer (MDB), foi usada para repassar propina. No entanto, o presidente nega as informações.

A Polícia Federal investiga se empresas do setor portuário pagaram propina em troca de um decreto presidencial.

Em depoimento ao delegado Cleyber Malta Lopes, responsável pelo inquérito dos portos, o contador Gabriel de Carvalho Jacintho revelou que criava empresas de “prateleira” para depois serem vendidas a empresários brasileiros.

Segundo destaca o G1, a investigação suspeita que a empresa Rodrimar tenha pagado propina em troca de um decreto assinado por Temer.

Além disso, os investigadores suspeitam que a Eliland do Brasil seja uma empresa laranja – usada na verdade pela Argeplan para negociar propinas no setor portuário. O coronel João Baptista Lima Filho – amigo de Temer- virou sócio da empresa em 2011, mas a PF suspeita que ele participava da Argeplan antes disso.

0
0
Clique para comentar
Publicidade

Política

Em carta a Jean Wyllys, Lula pede ‘enfrentamento’ a Bolsonaro

O deputado conta que enviou o seu livro ‘Tempo bom, tempo ruim’, escrito por ele, ao ex-presidente e recebeu carta em resposta

ubiie Redação

Publicado

em

Da prisão em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua se mostrando um dos principais opositores ao presidente Jair Bolsonaro. Em carta divulgada nessa quinta-feira (17) pelo deputado Jean Wyllys, o petista pediu “forte enfrentamento político” ao novo governo.

Wyllys contou que enviou o seu livro “Tempo bom, tempo ruim”, escrito por ele, a Lula. Em resposta, ele recebeu uma carta feita à mão pelo ex-presidente, em que ele agradece o presente e a dedicação do deputado à política e pede oposição ao governo de Bolsonaro:

“Eu estou convencido que temos que consolidar um forte enfrentamento político com o governo, e ao mesmo tempo, tratar de organizar politicamente o nosso povo”, escreveu Lula.

0
0
Continuar lendo

Política

Moro: ‘Petrobras foi saqueada num volume sem paralelo no governo Lula’

“Pra onde foi esse dinheiro?”, questionou o ministro

ubiie Redação

Publicado

em

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou, nesta terça-feira, 15, em entrevista à GloboNews, que a Petrobras foi “saqueada em um volume sem paralelo” durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A declaração foi feita em resposta a pergunta sobre argumentos da defesa do petista à Justiça de que Moro foi um juiz parcial e o perseguiu durante processos judiciais.

Moro afirmou que Lula não “faz parte” de seu “presente”, nem do “futuro”. “O fato é que a decisão que eu proferi foi confirmada por três desembargadores que permanecem em suas posições.”

“O que existe é um álibi falso de perseguição política. O fato é que a Petrobras durante o governo do ex-presidente foi saqueada num volume às vezes sem paralelo no mundo”, disse. Moro ressaltou que “a própria Petrobras reconheceu R$ 6 bilhões em desvios”.

“Pra onde foi esse dinheiro? esse dinheiro foi para enriquecer ilicitamente diversos agentes públicos daquele governo e parcelas beneficiaram o ex-presidente. Esse álibi parte do pressuposto de que esse escândalo de corrupção não aconteceu”, concluiu.

0
0
Continuar lendo

Política

Bolsonaro promete mostrar um ‘Brasil diferente’ em Davos na próxima semana

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, prometeu nesta segunda-feira mostrar “um Brasil diferente, livre de laços ideológicos e corrupção generalizada” no Fórum Econômico Mundial (FEM) em Davos, na Suíça, na próxima semana.

ubiie Redação

Publicado

em

A reunião de 22 a 25 de janeiro da elite política e corporativa do mundo seria uma “grande oportunidade de apresentar um Brasil diferente para líderes de todo o mundo”, afirmou o líder brasileiro no Twitter.

“Mostrarei nosso desejo de negociar com todos, valorizando a liberdade econômica, os acordos bilaterais e o equilíbrio fiscal. Com esses pilares, o Brasil irá em direção ao pleno emprego e à prosperidade”, prosseguiu.

O encontro nos Alpes Suíços será a primeira viagem internacional de Bolsonaro desde sua posse em 1º de janeiro.

Bolsonaro será acompanhado por seu ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Para participar da reunião de Davos, Bolsonaro adiou a cirurgia abdominal para remover uma bolsa de colostomia anexada depois que ele sobreviveu a um ataque a faca em setembro.

Ele deve se submeter à cirurgia no final de janeiro. O vice-presidente Antônio Hamilton Mourão assumirá o comando do dia-a-dia do país enquanto o presidente se recupera, o que deve levar cerca de duas semanas.

0
0
Continuar lendo
Publicidade
1USD
United States Dollar. USA
=
109,62
JPY –0,05%
3,75
BRL +0,01%
1EUR
Euro. European Union
=
124,69
JPY +0,03%
4,27
BRL +0,09%
1BTC
Bitcoin. Crypto-currency
=
389.237,64
JPY +0,20%
13.323,09
BRL +0,26%

Tokyo
Sunny
MonTueWed
10/2°C
11/1°C
11/3°C

São Paulo
23°
Fog
SunMonTue
min 21°C
33/22°C
30/22°C

Arquivos

Facebook

Publicidade

Mais vistas da semana