Siga-nos

Mundo

176

Tempo estimado para a leitura: 2minuto(s) e 46segundo(s).

Brasileiro é preso na Alemanha 31 anos após matar a ex no DF

Marcelo Bauer vai cumprir 14 anos de prisão no país europeu

ubiie Redação

Publicado

em

Nesta semana, a Alemanha informou ao governo brasileiro que Marcelo Bauer, condenado a 14 anos de prisão por matar a ex-namorada no Distrito Federal, em 1987, está preso. O acusado fugiu para a Europa logo depois do crime, 31 anos trás, e era considerado foragido da justiça, noticia o G1.

O assassinato aconteceu em julho de 1987, mas Bauer fugiu e conseguiu cidadania europeia. Com isso, ele evitou a extradição de volta para o Brasil para o cumprimento da pena.

A vítima, Thais Muniz Mendonça, de 19 anos, era estudante de letras da Universidade de Brasília (UnB). A perícia feita na época apontou que o corpo tinha marcas de asfixia, golpes de faca e uma perfuração por arma de fogo.

Marcelo Bauer cumpre pena desde 25 de abril deste ano no Centro Penitenciário de Bayreuth, no norte da Baviera, informa o comunicado alemão, divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Ministério Público Federal (MPF).

Na Alemanha, o prisioneiro vai cumprir a mesma pena definida pela Justiça brasileira.

Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), o condenado escapou com a ajuda do pai, coronel que trabalhava na inteligência da Polícia Militar. Ele só foi localizado 13 anos depois, em 2000, morando em Arhus (Dinamarca). Foi neste período que Bauer chegou a passar oito meses preso pela Interpol.

O Ministério da Justiça pediu que a Dinamarca extraditasse Bauer para o Brasil, foi quando o homem fugiu novamente para a Alemanha, onde pediu – e recebeu – cidadania. Por causa disso, desde 2002 ele vivia em Flensburg, no norte alemão, segundo o MPF.

Em negociações para sua punição desde 2011, Brasil e Alemanha compartilharam provas, oitivas e até amostras de DNA. A sentença emitida no Brasil foi enviada à justiça alemã para homologação e execução, a demora no trâmite burocrático, no entanto, incomodou os órgãos brasileiros. Em maio de 2016, a PGR pediu, pela segunda vez, que a Alemanha prendesse Bauer.

2
0
Clique para comentar
Publicidade

Mundo

1 tonelada de chocolate invade ruas de cidade alemã

Um “rio” de chocolate invadiu as ruas de Werl, na Alemanha, após mau funcionamento em uma fábrica local. Cerca de uma tonelada de chocolate teve que ser limpa das ruas da cidade. Foi necessário o trabalho de 25 pessoas e mais de duas horas para resolver o problema.

ubiie Redação

Publicado

em

“Nós recolhemos tudo isso com pás”, explicou à agência DPA, nesta terça-feira (11), Karsten Korte, chefe do corpo voluntário de bombeiros.

Segundo a agência DPA, as razões do vazamento na fábrica não estão claras, porém é provével que tenha havido alguma falha técnica nos equipamentos.
Para remover o chocolate que grudou no asfalto os bombeiros usaram água quente e maçaricos. A medida foi para que a rua não ficasse escorregadia para os carros.

Todo o chocolate foi jogado fora e nada foi consumido pelos voluntários, segundo assegurou Karsten Korte à mídia alemã.

0
0
Continuar lendo

Mundo

‘Cansado de comer carne humana’: corte sul-africana prende para sempre 2 canibais

Dois sul-africanos acusados de canibalismo foram sentenciados à prisão perpétua por assassinato na quarta-feira (12). De acordo com o juiz, os dois cidadãos são culpados pelo “crime mais hediondo”, comunica The Guardian.

ubiie Redação

Publicado

em

O juiz Peter Olsen sentenciou Nino Mbatha, de 33 anos, e Lungisani Magubane, de 32 anos, à prisão perpétua pelo assassinato de Zanele Hlatshwayo no ano passado, de acordo com a edição.

O curandeiro Mbatha decidiu se entregar à polícia de Estcourt, cidade na província de KwaZulu-Natal, segundando um saco com uma perna e uma mão humanas. O curandeiro confessou aos policiais estar “cansado de comer carne humana”.

Os policiais não acreditaram na história até visitarem a casa do curandeiro, onde havia mais partes humanas. A corte descobriu que Hlatshwayo, de 24 anos de idade, foi morta para ser comida, de acordo com mídia local.

Residentes furiosos se reuniram do lado de fora da corte para protestar contra o terrível assassinato. A África do Sul não possui lei direta contra o canibalismo, mas mutilação de cadáveres e possessão de tecido humano são ofensas criminais.

0
0
Continuar lendo

Mundo

Trump ameaça paralisar governo se democratas vetarem muro no México

Presidente e líderes da oposição bateram boca nesta terça-feira (11) sobre o financiamento da estrutura

ubiie Redação

Publicado

em

Em um vislumbre do que deve ser a dinâmica da relação da administração de Donald Trump com a maioria democrata na Câmara dos Deputados que assume em janeiro, o presidente e líderes da oposição bateram boca nesta terça-feira (11) sobre o financiamento do muro que o republicano quer construir na fronteira com o México.

O presidente ameaçou vetar o orçamento e paralisar o governo caso os democratas se recusem a aprovar o orçamento para o financiamento do muro.

Uma paralisação parcial pode acontecer já no dia 21 de dezembro. Se não houver acordo até lá, o Departamento de Segurança Doméstica e outras agências, como Justiça, Interior e Agricultura, podem ficar sem financiamento para 2019. Elas representam cerca de 25% dos gastos do governo federal.

A construção de um muro na fronteira com o México foi uma das promessas de campanha do republicano. Trump quer US$ 5 bilhões para o muro em 2019, enquanto os democratas acenam com US$ 1,3 bilhão.

“Se nós não tivermos segurança na fronteira, nós vamos paralisar o governo. Esse país precisa de segurança na fronteira”, afirmou Trump no Salão Oval da Casa Branca.

As declarações foram rebatidas pelo senador Chuck Schumer, de Nova York, líder da minoria democrata no Senado, e por Nancy Pelosi, da Califórnia, líder da minoria democrata na Câmara (papel no qual continua quando a oposição virar maioria na Casa, em janeiro).

Foi o primeiro encontro em mais de um ano entre o republicano e os dois líderes de oposição -chamados por Trump de dupla “Chuck e Nancy”- envolvendo uma negociação.

O resultado foram dedos apontados, vozes elevadas e falas interrompidas.

Pelosi pediu que as discussões ficassem longe da imprensa, ao que Trump respondeu: “Não é tão ruim, Nancy. Isso se chama transparência.”

A deputada democrata sugeriu que pode haver uma “paralisação do Trump” em torno do que ela caracterizou como um muro pouco efetivo.

“A população americana reconhece que nós devemos deixar o governo funcionando, que uma paralisação não vale nada, e que nós não deveríamos ter uma paralisação do Trump”, disse Nancy. “Uma o que?”, rebateu o presidente.

Schumer, por sua vez, lembrou a Trump que “eleições têm consequências”. “Nós achamos que você não deveria paralisar [o governo].”

“Eu tenho orgulho de paralisar o governo pela segurança na fronteira, Chuck”, rebateu Trump. As discussões terminaram sem um acordo.

Após a reunião, a Casa Branca emitiu um comunicado no qual qualificou o diálogo de Trump com os líderes democratas de “construtivo”.

0
0
Continuar lendo
Publicidade
1USD
United States Dollar. USA
=
113,52
JPY –0,04%
3,89
BRL –0,01%
1EUR
Euro. European Union
=
128,20
JPY –0,66%
4,39
BRL –0,63%
1BTC
Bitcoin. Crypto-currency
=
371.542,81
JPY –0,18%
12.735,62
BRL –0,15%

Tokyo
Mostly Cloudy
FriSatSun
min 3°C
9/1°C
11/5°C

São Paulo
23°
Fair
FriSatSun
33/20°C
32/21°C
31/21°C

Arquivos

Facebook

Publicidade

Mais vistas da semana